Livro: Geodésia Celeste

Capítulo 1 - INTRODUÇÃO

1.1 GEODÉSIA

1.2 GEODÉSIA GEOMÉTRICA

1.3 GEODÉSIA FÍSICA

1.4 GEODÉSIA TRIDIMENSIONAL

1.5 GEODÉSIA CELESTE

REFERÊNCIAS

Capítulo 2 - ÓRBITA KEPLERIANA

2.1 INTRODUÇÃO

2.2 ÓRBITAS NORMAIS E PERTURBADAS

2.3 LEIS DO MOVIMENTO (REVISÃO)

2.4 LEI DE NEWTON

2.5 LEIS DE KEPLER

2.6 PROBLEMA DOS n CORPOS

2.7 PROBLEMA DOS DOIS CORPOS - ÓRBITA NORMAL

2.8 GEOMETRIA DO MOVIMENTO KEPLERIANO

2.8.1 Elementos Orbitais

2.8.2 Coordenadas Planas Orbitais do Satélite

2.8.3 Equação de Kepler

2.8.4 Equação de Kepler: dedução

2.8.5 Equação de Kepler: solução

2.9 COORDENADAS URANOGRÁFICAS GEOCÊNTRICAS

2.10 COORDENADAS CARTESIANAS DO SATÉLITE

2.10.1 Cartesianas orbitais

2.10.2 Cartesianas uranográficas

2.10.3 Cartesianas uranográficas topocêntricas

2.11 COORDENADAS URANOGRÁFICAS TOPOCÊNTRICAS

2.12 APLICAÇÃO GEODÉSICA (Método Fotográfico)

2.13 CO-SENOS DIRETORES DA DIREÇÃO ESTAÇÃO-SATÉLITE

2.14 REFERENCIAL TERRESTRE MÉDIO X'

2.15 CONVERSÃO DO REFERENCIAL URANOGRÁFICO (Z') EM TERRESTRE MÉDIO (X')

2.16 VARIANTES UTILIZADAS NO GPS

2.17 RESUMO

2.18 DETERMINAÇÃO DE ÓRBITAS (Notícia)

2.19 EXERCÍCIOS

REFERÊNCIAS

Capítulo 3 - VARIAÇÃO DOS ELEMENTOS ORBITAIS (ÓRBITAS PERTURBADAS)

3.1 PERTURBAÇÕES NO SISTEMA SOLAR

3.2 PERTURBAÇÕES DE UM SATÉLITE ARTIFICIAL

3.3 PERTURBAÇÕES TERRESTRES

3.3.1 Função Perturbadora

3.3.2 Função Perturbadora Terrestre

3.3.3 Variação dos Elementos Orbitais

     3.3.3.1 Equações de Lagrange

     3.3.3.2 Variáveis de Delaunay

     3.3.3.3 Componentes da força perturbadora

     3.3.3.4 Componentes gaussianas da força perturbadora

     3.3.3.5 Equações de Merson

     3.3.3.6 Inclinação Crítica

3.4 ATRITO NA ATMOSFERA

3.5 PERTURBAÇÃO LUNI-SOLAR

3.6 PRESSÃO DA RADIAÇÃO SOLAR

3.6.1 Considerações

3.6.2 Pressão da Radiação Direta

3.6.3 Pressão da Radiação Indireta

3.7 PERTURBAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS

3.8 EFEITOS RELATIVISTAS

3.8.1 Deslocamento do Perigeu no Movimento Planetário

3.8.2 Deslocamento do Perigeu de Satélites Artificiais

REFERÊNCIAS

Capítulo 4 - RASTREIO

4.1 INTRODUÇÃO

4.2 CLASSIFICAÇÃO DOS MÉTODOS DE RASTREIO

4.3 RASTREIO ÓPTICO

4.3.1 Condições

4.3.2 Calagem

4.4 RASTREIO VISUAL

4.5 RASTREIO FOTOGRÁFICO

4.5.1 Considerações

4.5.2 Câmera Baker-Nunn

4.5.3 Câmera Hewitt

4.5.4 Câmeras Móveis

4.6 RASTREIO ELETRÔNICO

4.6.1 Introdução

4.6.2 Método Interferométrico

4.6.3 Radar

4.6.4 Doppler

4.7 RASTREIO FOTOELÉTRICO

4.8 RASTREIO SATÉLITE-SATÉLITE

4.9 REDUÇÃO DE OBSERVAÇÕES ÓPTICAS

4.10 REDUÇÃO DE OBSERVAÇÕES VISUAIS

4.10.1 Direção Topocêntrica Aparente

4.10.2 Refração Astronômica

4.10.3 Refração Atmosférica. Refração Diferencial

4.10.4 Refração para Objetos Próximos da terra

4.10.5 Aberração

4.11 REDUÇÃO DE OBSERVAÇÕES FOTOGRÁFICAS

4.11.1 Método Astrométrico

4.11.2 Coordenadas-padrão

4.11.3 Coordenadas Uranográficas do Satélite

4.11.4 Correções

4.11.5 Coordenadas do Ponto de tangência

REFERÊNCIAS

Capítulo 5 - TEMPO - CONSTANTES

5.1 TEMPO ROTACIONAL

5.2 TEMPO SIDERAL

5.3 TEMPO SOLAR VERDADEIRO

5.4 TEMPO SOLAR MÉDIO

5.5 IRREGULARIDADES DO TEMPO ROTACIONAL

5.6 MOVIMENTO DO PÓLO

5.7 TEMPO UNIVERSAL

5.8 TEMPO DAS EFEMÉRIDES

5.9 ESCALA DE TEMPO DINÂMICO

5.10 ESCALA DE TEMPO ATÔMICO

5.11 INTERVALOS

5.11.1 Segundo

5.11.2 Ano

5.12 TEMPO UNIVERSAL COORDENADO (TUC)

5.13 ESCALAS DE TEMPO - MISCELÂNEA

5.14 CONSTANTES

5.15 EXERCÍCIOS

REFERÊNCIAS

Capítulo 6 - TRIANGULAÇÃO E TRILATERAÇÃO CELESTE

6.1 INTRODUÇÃO

6.2 TRIANGULAÇÃO ESTELAR DE VÄISÄLÄ

6.3 TRIANGULAÇÃO CELESTE

6.4 O TRABALHO DO CGS(NOS)

6.5 CÂMARA LUNAS DE MARKOWITZ

6.6 O MÉTODO ORBITAL

6.7 TRILATERAÇÃO

6.7.1 Introdução

6.7.2 SECOR

6.8 LASER

6.8.1 Generalidades

6.8.2 Aplicações Geodésicas

6.8.3 Distanciômetros Celestes a LASER

6.8.4 SLR - LLR - LAGEOS

REFERÊNCIAS

Capítulo 7 - POSICIONAMENTO UTILIZANDO O EFEITO DOPPLER - NNSS

7.1 O EFEITO DOPPLER-FIZEAU

7.2 APLICAÇÃO EM NAVEGAÇÃO E GEODÉSIA

7.3 NNSS - GENERALIDADES

7.4 EFEMÉRIDES

7.5 EFEMÉRIDES IRRADIADAS

7.6 ESTRUTURA DA MENSAGEM DE DOIS MINUTOS

7.7 MEDIDA DOPPLER INTEGRADA

7.8 REFRAÇÃO

7.9 EQUIPAMENTO

7.10 SATÉLITES

7.11 TPECNICAS DOPPLER DE POSICIONAMENTO

7.12 APLICAÇÕES

REFERÊNCIAS

Capítulo 8 - NAVSTAR-GPS

8.1 INTRODUÇÃO

8.1.1 Resumo Histórico

8.1.2 Descrição do Projeto Navstar-GPS

8.2 A CONSTELAÇÃO

8.2.1 Os Satélites GPS

8.2.2 O Sistema de Tempo GPS

8.2.3 Sinais Emitidos pelos Satélites

     8.2.3.1 Códigos

     8.2.3.2 Mensagens Transmitidas pelos Satélites GPS

8.2.4 O Controle Terrestre

8.3 COORDENADAS CARTESIANAS DO SATÉLITE

8.3.1 Referencial

8.4 O EQUIPAMENTO DOS USUÁRIOS

8.4.1 Aperfeiçoamentos dos Receptores

     8.4.1.1 Quadratura do Código

     8.4.1.2 Quadratura Auxiliada pelo Código

     8.4.1.3 Correlação Cruzada

     8.4.1.4 Rastreio Z (Z-tracking)

     8.4.1.5 Velocidade de Medição e Capacidade de Memória

     8.4.1.6 Levantamentos Diferenciais em Tempo Real (ou Navegação de Precisão)

REFERÊNCIAS

Capítulo 9 - EQUAÇÕES DE OBSERVAÇÃO

9.1 OBSERVÁVEIS EM GPS

9.1.1 Fases dos Códigos

9.1.2 Fases das Portadoras

9.2 ALGORITMOS DE POSICIONAMENTO BASEADOS NAS OBSERVÁVEIS DOS CÓDIGOS

9.2.1 Posicionamento Simples com Código

9.2.2 Navegação Simples com Código

9.2.3 Posicionamento Diferencial com Código

9.2.4 Navegação Diferencial com Código

9.3 ALGORITMOS DE POSICIONAMENTO PARA AS FASES DAS PORTADORAS

9.3.1 Simples Diferença de Fase

9.3.2 Dupla Diferença de Fase

9.3.3 Tripla Diferença de Fase

9.3.4 Troca de Antenas

9.3.5 Diferenças de Distâncias

REFERÊNCIAS

Capítulo 10 - ERROS SISTEMÁTICOS

10.1 ERROS NAS EFEMÉRIDES

10.2 ERROS NOS RELÓGIOS

10.3 REFRAÇÃO ATMOSFÉRICA

10.3.1 Introdução

10.3.2 Refração Troposférica

10.3.3 Refração Ionosférica

10.4 MULTICAMINHO, IMAGEAMENTO E CENTRO DE FASE

REFERÊNCIAS

Capítulo 11 - POSICIONAMENTO COM GPS

11.1 INTRODUÇÃO

11.2 POSICIONAMENTO SIMPLES COM CÓDIGO

11.3 NAVEGAÇÃO SIMPLES COM CÓDIGO

11.3.1 Fatores de Diluição da Precisão DOP

11.4 EXEMPLOS DE OBSERVAÇÕES E CÁLCULOS

11.5 POSICIONAMENTO DIFERENCIAL

11.5.1 Posicionamento Estático

     11.5.1.1 Dupla e Tripla Diferenças de Fase

     11.5.1.2 Detecção e Correção de Perdas de Ciclo

     11.5.1.3 Determinação das Ambigüidades

     11.5.1.4 A Função Ambugüidade

11.5.2 Posicionamento Cinemático

11.5.3 Método Rápido Estático

11.5.4 Posicionamento em Tempo Real

11.5.5 Lavantamento de Redes

11.5.6 Obtenção da Altitude Ortométrica

     11.5.6.1 Garta Geoidal Relativa

11.6 PLANEJAMENTO DE LEVANTAMENTOS GPS

11.6.1 Gráficos

11.6.2 Injunções Instrumentais

11.6.3 Cuidados nas Medições

     11.6.3.1 Levantamentos Simultâneos em Rede

     11.6.3.2 Levantamentos não Simultâneos em Rede

REFERÊNCIAS

Capítulo 12 - CONEXÃO DE SISTEMAS GEODÉSICOS

12.1 INTRODUÇÃO

12.2 DEFINIÇÃO DE SISTEMA GEODÉSICO

12.3 SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO

12.4 DEFINIÇÃO DE TERNO CARTESIANO GEODÉSICO

12.5 RELAÇÃO ENTRE AS COORDENADAS GEODÉSICAS E AS CORRESPONDENTES CARTESIANAS

12.6 RELAÇÃO ENTRE CENTROS DE ELIPSÓIDES

12.7 CONEXÃO DE SISTEMAS

12.7.1 Introdução

12.7.2 Método Direto (iterativo)

12.7.3 Método Diferencial

12.7.4 Fórmulas de Molodenski

12.8 SISTEMAS GEODÉSICOS GEOCÊNTRICOS. SISTEMAS LOCAIS. ROTAÇÃO. ESCALA

REFERÊNCIAS

Apêndice A - MATRIZES DE ROTAÇÃO

A.1 ROTAÇÃO DE EIXOS EM FUNÇÃO DE CO-SENOS DIRETORES

A.2 MATRIZES DE ROTAÇÃO

A.3 REFLEXÃO

A.4 PROPRIEDADES

Apêndice B - PRECESSÃO - NUTAÇÃO

B.1 PRECESSÃO

B.2 NUTAÇÃO

Apêndice C - MOVIMENTO DO PÓLO

Apêndice D - TEMPOS UNIVERSAL E SIDERAL